Quinta-feira, 17 de Dezembro de 2009

Ainda agora o dia se levanta

e já as cigarras cantam

furiosas


tags:

publicado por OPTD às 00:29 | link do post | favorito

1 comentário:
De AUFDERMAUR a 15 de Janeiro de 2010 às 06:10
Eu tenho o estranho hábito de me deitar quando o dia se levanta mas nunca tive o prazer de ouvir as cigarras a cantar, somente galos. O que eu ouço muitas vezes (e parece que hoje vai ser outra delas) é as pessoas que às vezes estão na mesma casa que eu a levantarem-se e eu, para evitar ouvir mais uma vez o quanto eu sou estranha e que isto não é vida, deito-me rapidamente, ligo o meu companheiro de todas as horas e fico muito quietinha a fazer de conta que estou a dormir...
Outras vezes não ouço nada de tão absorvida que estou a observar a pessoa ao meu lado a dormir, a admirar cada movimento, cada som, a fazer-lhe carinhos, a falar com ela e a obter respostas sonâmbulas ou então a chorar ao pensar em todo o sofrimento e dor que duas pessoas que se amam são capazes de causar uma à outra. Muitas dessas vezes dou por mim a odiar essa pessoa por me partir o coração e depois ser capaz de adormecer calmamente enquanto eu fico ali sem conseguir parar de chorar. E odeio-me a mim por não ser capaz de fazer o mesmo, continuar a minha noite como se nada tivesse acontecido...
E ainda assim prefiro mil vezes essas noites àquelas em que após decidirmos separar-nos e estando cada um em sua casa, surgem mensagens e músicas de suicídio no ar, acompanhadas de frases como "Nunca te esqueças que foste a única pessoa que eu amei" ou "Eu estou-me a afogar e tu não me salvas", seguidas de um desaparecimento ou de telefonemas de madrugada em que ninguém fala do outro lado da linha, ouvindo-se apenas barulhos que nos assustam e um desligar repentino... E quando damos por nós a pensar que tudo não passa de simples ameaças, vivemos a pior noite da nossa vida, sozinhos numa casa, com o DVD "Soulmates Never Die" a tocar sem parar (isn't it ironic), a desejar que tudo não passe de um filme de terror mil vezes pior que aqueles cujo guião inclui frases como ""Se fosses um homem já estavas morto" ou "Eu encontro-te onde quer que estejas e parto-te a cara toda"... Era tão bom se o canto furioso das cigarras denunciasse o aproximar de noites como estas, noites em que por momentos nós vemos a morte à frente dos nossos olhos... Mas isso só acontece nos filmes e em blogs cheios de poesia...

"Come on Balthazar I refuse to let you die
Come on fallen star I refuse to let you die
Cos that's wrong and I've been waiting far too long
It's wrong,and I've been waiting far too long
For you to be-hee ..be-hee ..be-hee ..be mine
For you to be mine ..be mine ..for you to be mine"



Comentar post

um blog de poesia...
mais sobre mim
Setembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

Quem te levou?

Infância

Anacleta

Unter den Linden

...

aniversário

esvoaçantes

deslizam

gaivota

é quando estou cansado

arquivos

Setembro 2018

Agosto 2017

Janeiro 2017

Setembro 2015

Junho 2015

Agosto 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Julho 2012

Abril 2012

Janeiro 2012

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

tags

acrósticos

ars poetica

arte

digo alentejo

diversos

fados

flos sanctorum

gato

haiku

inspira-me

instantes

livros publicados

mater

monólogos para dois

odi et amo

onde musa

papéis encontrados

portugal

quadras soltas

viagens

todas as tags

favoritos

Plus tard, je veux faire....

blogs SAPO
subscrever feeds